Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

quarta-feira, 23 de março de 2016

OS PASSAROS.

Sir Alfred Hitchcock nasceu em Leytonstone, em Essex (atual Londres). Filho de Emma e William Hitchcock,o seu pai vendia frutas e verduras, e ele tinha mais dois irmãos. Recebeu uma rígida educação católica na escola londrina St. Ignatius College, cuja estrutura escolar era baseada nos ensinamentos do jesuíta Inácio de Loyola.Aos 14 anos Hitchcock perdeu o pai, deixou a escola e começou a trabalhar na companhia Henley, como fabricante de cabos elétricos, onde desenvolveu trabalhos como design gráfico de publicidade.
Hitchcoch fez uma pontinha nesse filme, 
(não sendo atacado pelos passaros)
mas passeando com o seus cães Terrier
A sua carreira cinematográfica começou em 1920, com um emprego na Famous Players-Lasky, da Paramount Pictures e, durante dois anos, fez as telas de texto que identificavam diálogos defilmes mudos. Logo aprendeu a criar roteiros e a editar. Em 1922, tornou-se cenógrafo e assistente de direção. Em 1922 fez o seu primeiro filme, chamado Number Thirteen, mas o projeto foi abandonado. Entre 1923 e 1925, Hitchcock trabalhou em Berlim, na UFA (Universum Film AG).Agora se eu for falar apenas de Hitchcoch, eu precisaria de bem mais de um Blog para realizar essa façanha, pois então vamos ao que interessa, seus filmes ou melhor seu filme mais emblemático de todos:
OS PASSAROS.
Seus atores preferidos para os seus
 filmes eram, Gary Grant, James
 Stewart e Henri Fonda
Gary Grant

James stewart
  Henri Fonda











Se os créditos iniciais cumprem o esperado (preparar o telespectador para o clima de tensão), o primeiro ato do mesmo serve justamente para quebrar essa sensação. O que vemos é um típico início de uma comédia romântica, com os ingredientes típicos de um filme de Hitchcock: a loira estonteante – no caso, Melaine Daniels (“Tippi” Hendren, em sua estréia no cinema); o “homem comum”, eternizado em seus filmes por Cary Grant e James Stewart (no caso, Mitch Brenner, aqui interpretado por Rod Taylor); o típico humor característico dos seus filmes; a trama amorosa entre os dois personagens principais. Entretanto, através de certos detalhes inseridos na trama (como, por exemplo, a revoada de pássaros observada por Melaine pouco antes de entrar na loja de pássaros), Hitch nos mostra que algo de estranho está por acontecer.
Sua atriz preferida era Janet Leight, que protagonizou aquela cena famosa do chuveiro em Psicose, Janet que era casada com o recem falecido Tony Curtis e mãe da também atriz Jamie Lee Curtis
Jamie Lee Curtis.
Tipico filme de horror, em uma pequena e pacata cidade interiorana, mas o que evidenciou esse filme dos demais foram os passaros , transformados de seres inofensivos para assassinos crueis pelo diretor
Outro ponto importantíssimo a ressaltar é a trilha sonora. Ou, melhor dizendo a ausência dela. Hitch, a fim de criar uma tensão cada vez mais constante, optou por usar apenas efeitos sonoros, além de se utilizar de ruídos (feitos a partir de enormes sintetizadores), especialmente de pássaros. Isso ajudou a criar um clima de tensão constante, que uma trilha sonora não conseguiria dar. Bernard Herrmann, grande colaborador de Hitch nas trilhas sonoras, foi classificado como consultor sonoro desse filme.
Uma das cenas mais impressionantes do filme 
foram as dezenas de passaros juntos, parece só esperando uma ordem para atacarem!
“Os Pássaros” pode não ser a obra mais famosa de Hitch (ou mesmo a mais venerada), mas ela pode ser considerada uma das mais emblemáticas de sua vasta carreira. A sensação que se têm depois de assistir essa obra–prima é que, mesmo 48 anos depois, com todos os avanços tecnológicos surgidos desde então, poucos diretores teriam o detalhismo e o perfeccionismo necessário para executar tal façanha, além de coragem suficiente de fazer tantas escolhas que, a princípio, soariam equivocadas. E essas qualidades são dadas a poucos gênios cinematográficos. Hitch tinha isso e muito mais, fato que pode ser comprovado em suas seis décadas de carreira e quase o mesmo número de filmes. Era um dos poucos que sabia criar o suspense como ninguém, mesmo que esse suspense venha de criaturas que nunca imaginaríamos!
Os passaros se unem aos montes e começam um ataque sem igual aos moradores 
Eu creio fielmente que á intenção de Hitchcoch, era de realizar uma segunda parte desse filme, isso porque o mesmo se encerra abruptamente, e dando á entender que aconteceria isso, mas  essa duvida ficara para sempre em nossa cabeça, pois se fosse ser realizada uma continuação do filme apenas o grande  mestre Hithcoch é quem poderia realiza-la com toda perfeição e inteligência que lhe eram peculiares, mas infelizmente ele ha algum tempo, ja não esta mais entre nós.
Fonte BBC.
Postar um comentário