Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

RAIO DE FERRO.


Um dos sonhos dos cientistas militares, uma das visões dos escritores de ficção científica e uma daquelas coisas que todo mundo acha que nunca vai existir entra em ação militar daqui a poucos meses em Israel. Ainda no governo de Ronald Reagan, nos EUA os americanos definiram seu projeto da proteção contras os mísseis soviéticos, conhecido como Guerra nas Estrelas, como um grupo de satélites equipados com canhões de raio laser para abater os foguetes inimigos. Todo mundo achou maluquice e megalomania. A eletricidade necessária exigia reatores nucleares nos satélites e já sabemos que alguns satélites, inclusive russos, maiores que um ônibus e pesando algumas toneladas, com reator nuclear interno já até caíram. 
Lasers luminosos muito utilizados em
 espetáculos, mas que podem se 
transformarem em  poderosas armas.
Um simples laser otico de um cd, pode
 gerar um calor descomunal, basta-se 
apenas se condensar a sua fonte de energia.
Então, não se sabe o que há lá em cima. Em 2007 a TRW americana mostrou um canhão antiaéreo a laser que falhou nos primeiros testes, mas ao longo dos anos foi funcionando, abatendo alguns mísseis intercontinentais de treinamento sobre o Pacífico. A TRW se uniu à empresa estatal israelense Rafael, num programa secreto para aprimorar a arma, que foi divulgado como um sucesso, alguns dias atrás. A necessidade de Israel é aposentar o Domo de Ferro, que se mostrou espetacular e que nem americanos, nem russos, nem chineses jamais conseguiram produzir, devido ao custo de mais de 10.000 dólares por disparo e ao tempo muito longo necessário para recarregar o lançador, o que permitiria derrubar os primeiros 30 foguetes ou projéteis inimigos e depois disso, os outros passariam como o Hamas já testou e demonstrou algumas vezes.
Pode atingir grandes distancias
 com a velocidade da luz.
Essa intensidade luminosa dessa simples
 caneta ótica é gerada por uma energia
 eletrica quase desprezivel.
O novo sistema está sendo chamado de Raio de Ferro e á capaz de derrubar rapidamente grande número de projéteis muito pequenos como de morteiro e canhão, mísseis de média e baixa altitude, e qualquer aeronave, inclusive os pequenos não tripulados até 7.000 metros de altitude ou 7 km de distância. É um feito notável de engenharia e ótica, considerado impossível de realizar. Seus dados técnicos não foram divulgados. Ainda não sabemos quantos disparos pode efetuar, ou se apenas basta "ligara na tomada" e deixar o computador ir disparando os raios de luz fatais. A foto é de divulgação da Rafael. Mas Israel é a terra das realizações impossíveis! O Raio de Ferro foi exposto na exposição aérea militar de Singapura em fevereiro e não chamou a atenção da mídia internacional. 


Uma simples caneta otica consegue
 emitir um raio potente, agora imagine um
 foco de 50 milimetros de diametro!
É uma arma muito potente que centraliza
 o alvo evitando a destruição em
 massa como fazem as ogivas.
Este equipamento foi oferecido ao governo brasileiro como arma de defesa antiaérea para as Olimpíadas de 2016, mas parece não ter sido compreendido, optando o Ministério da Defesa por mísseis convencionais. Na verdade esse raio de ferro nada mais é do que um canhão tele objetivo de 50 milímetros ao qual possui um leitor laser abaixo de uma potente lente, e que funciona  como um desses lasers muito utilizados como caneta otica. O que o transforma em uma potente arma de guerra é sua funcionalidade bem pratica, que é acionada injetando-lhe energia que passa por um tipo de condensador que aumenta essa energia em ate milhões de vezes a sua potencia normal, e isso gera um calor descomunal que é direcionado atraves de um jato de luz ao alvo, e devido a essa intensidade de calor é desintegrado.
O gênio cientifico Nicola Tesla na década de
 40 projetou uma arma dessas que 
nunca chegou a ser patenteada.


Tesla tinha um verdadeiro fascínio 
pela energia, e seus projetos ate hoje 
ajudam no progresso da humanidade.
Sua conhecida bobina, conseguia
 gerar e transformar uma pequena 
voltagem em alguns milhões de volts.
Na verdade é uma arma de raios laser, com nome modificado devido ao registro da patente do laser ja ter sido registrado. E para quem conhece um pouco de historia cientifica essa arma lembra em muito o projeto do gênio cientista Nicola Tesla que na década de 40 projetou uma arma de raios idêntica a esse projeto israelense, porem a sua arma ainda era muito mais complexa, um acelerador de partículas móvel, que concentrava uma imensa quantidade de energia elétrica alternada que passava por um transformador  de alta potencia e que retirava os elétrons de um átomo de energia e o transformava em plasma, e que passava do estado gasoso ao estado senoidal (ondas como a luz) e ao ser acionado emitia também um jato de luz intensa que explodia qualquer alvo em grandes distancias.

Fonte BBC.
Postar um comentário