Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

domingo, 27 de setembro de 2015

AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO.

As sete maravilhas do mundo é uma lista famosa de majestosas obras artísticas e arquitetônicas. Há duas listas das sete maravilhas do mundo, uma é do mundo antigo e a outra é do mundo atual. As sete maravilhas do mundo antigo São obras erguidas durante a Antiguidade Clássica, atualmente a única que resiste parcialmente intactas são as Pirâmides de Gizé. A lista das sete maravilhas do mundo antigo:
Pirâmides de Gizé:
Estas três majestosas pirâmides foram construídas como tumbas reais para os reis Kufu (ou Queóps), Quefren e Menkaure (ou Miquerinos) - pai, filho e neto. A maior delas, com 146,6 m de altura (49 andares), é chamada Grande Piramide, e foi construída cerca de 2550 A.C. para Kufu, no auge do antigo reinado do Egito. As pirâmides de Gizé são um dos monumentos mais famosos do mundo. Como todas as pirâmides, cada uma faz parte de um importante complexo que compreende um templo, uma rampa, um templo funerário e as pirâmides menores das rainhas, todo cercado de túmulos(mastabas) dos sacerdotese pessoas do governo, uma autêntica cidade para os mortos. As valas aos pés das pirâmides continham botes desmontados: parte integral da vida no Nilo sendo considerados fundamentais na vida após a morte, porque os  egipicios acreditavam que o defunto-rei navegaria pelo céu junto ao Rei-sol. Apesar das complicadas medidas de segurança, como sistemas de bloqueio com pedregulhos e grades de granito, todas as pirâmides do Antigo Imperio foram profanadas e roubadas possivelmente antes de 2000 A.C.. A  Grande Piramide, de 450 pés de altura, é a maior de todas as 80 pirâmides do Egito. Se a Grande Pirâmide estivesse na cidade de New Iork por exemplo, ela poderia cobrir sete quarteirões. Todos os quatro lados são praticamente do mesmo comprimento, com uma exatidão não existente apenas por alguns centímetros. Isso mostra como os antigos egípcios estavam avançados na matematica e na engenharia numa época em que muitos povos do mundo ainda eram caçadores e andarilhos. A Grande Pirâmide manteve-se como a mais alta estrutura feita pelo homem até a construção da Torre Eifeel, em 1900, 4.400 anos depois da construção da pirâmide.
Estátua de Zeus em Olímpia:
 

A estátua media de 12 a 15 metros de altura - o equivalente a um prédio de cinco andares - e era toda de marfim e ébano. Seus olhos eram pedras preciosas. Fídias esculpiu Zeus sentado num trono. Ele esculpiu a estátua com material de joalheiro. Na mão direita levava a estatueta de Nike, deusa da Vitória; na esquerda, uma esfera sob a qual se debruçava uma águia. Supõe-se que, como em representações de outros artistas, o Zeus de Fídias também mostrasse o cenho franzido. A lenda dizia que quando Zeus franzia a fronte o Olimpo todo tremia. Quando a estátua foi construída, a rivalidade entre Atenas e Esparte pela hegemonia no Mediterraneo e na Grecia continental mergulhou os gregos numa sucessão de guerras. Os combates, no entanto, não prejudicaram as realizações culturais e artísticas da época. Ao contrário, o século V a.C. ficou conhecido como o século de ouro na história grega devido ao extraordinário florescimento da arquitetura, escultura e outras artes. A estátua de Zeus desapareceu sem deixar vestígios em  Contantinoplano século V d.C., local para onde a colossal estátua tinha sido transladada, quando quase todo seu material precioso de ouro, marfim e pedras preciosas já tinha sido retirado.
Jardins suspensos da Babilônia:
Os Jardins Suspensos da Babilônia foram uma das sete maravilhas do mundo antigo. É talvez uma das maravilhas relatadas sobre que menos se sabe. Muito se especula sobre suas possíveis formas e dimensões, mas nenhuma descrição detalhada ou vestígio arquelogico foi encontrada, exceto um poço fora do comum que parece ter sido usado para bombear água. Seis montes de terra artificiais, com terraços arborizados, apoiados em colunas de 25 a 100 metros de altura, construídos pelo rei Nabucodonosor, para agradar e consolar sua esposa preferida Amitis que nascera na ,Media um reino vizinho, e vivia com saudades dos campos e florestas de sua terra. Chegava-se a eles por uma escada de marmore. Também chamados de Jardins Suspensos de Semiranis, foram construídos no seculo VI A.C. , no sul da Mesopotamia, na Bailonia. Os terraços foram construídos um em cima do outro e eram irrigados pela água bombeada do rio Eufrates Nesses terraços estavam plantadas árvores e flores tropicais e alamedas de altas palmeiras. Dos jardins podia-se ver as belezas da cidade abaixo. Não se sabe quando foram destruídos. Suspeita-se que sua destruição tenha ocorrido na mesma época da destruição do palácio de Nabucodonosor, pois há boatos de que os jardins foram construídos sobre seu palácio
Templo de Ártemis em Éfeso:
O templo de Ártemis homenageava a deusa dos bosques, a Diana romana. Os colonizadores gregos encontraram os habitantes da Ásia Menor cultuando uma deusa que identificaram como Ártemis. Então construíram um pequeno templo que foi reconstruído e aumentado muitas vezes. Somente na quarta expansão o templo, que levou 120 anos para ser terminado, foi incluído na lista das sete maravilhas do mundo antigo. Media 138 metros de comprimento por 71,5 metros de largura com colunas de 19,5 metros de altura e era famoso pelas obras de arte, entre elas a escultura da deusa em ébano, ouro,  prata  e pedra preta. Foi destruído duas vezes: a primeira em  356 A.C. (na noite do nascimento de Alexandre o grande) num incêndio causado por  Heróstrato; a segunda no século III D.C. por um ataque dos godos. Restam algumas escrituras e objetos, expostos em Londres. No templo, chegaram a trabalhar centenas de sacerdotisas virgens, as quais praticavam a abstinência sexual e artes mágicas, acreditando na superioridade feminina.
Mausoléu de Halicarnassus:
Mausolo decidiu construir uma nova capital, tão difícil de capturar quanto magnífica para ser vista. Ele escolheu a cidade de Halicarnasso: se navios bloqueassem um pequeno canal, podiam manter todos os navios inimigos à distância. Adequou-a a um príncipe guerreiro: seus operários aprofundaram o porto da cidade e usaram a areia dragada para fazer armas protetoras em frente ao canal. Em terra, calçaram praças, ruas e casas para cidadãos normais, e em um lado do porto construíram um massivo palacio fortificado, com vista do mar e das colinas — lugares de onde inimigos atacariam.Em terra, construíram-se ainda muralhas e torres de guarda, um teatro em estilo grgo e um templo para  Ares– o deus grego da guerra.Mausolo e Artemísia gastaram uma soma gigantesca de impostos para embelezar a cidade. Compraram estatuas, templos  e edificios de mármore cintilante. No centro da cidade Mausolo traçou um plano para estabelecer um lugar de descanso para seu corpo após a sua morte. Ela seria uma tumba que mostraria para sempre como ele e sua rainha foram ricos.
Colosso de Rhodes:
O Colosso de Rodes foi uma estatua de Hélios, deus grego do sol, construída entre  292 A.C.e 280 A.C. pelo  escultor Carés de Lindos. A estátua tinha trinta metros de altura, 70 toneladas e era feita de bronze. Tornou-se uma das sete maravilhas do mundo antigoJá que o colosso tinha um pé apoiado em cada margem do  canal que dava acesso ao porto, todas as embarcações que chegasse à  ilha grega de Rodes, no Egeu por volta de 280 a.C. passaria obrigatoriamente sob as pernas da estátua de Hélios, protetor do lugar. Com 30 metros de altura, toda de bronze e oca, a estátua começou a ser esculpida em 292 a.C. pelo escultor Carés, que a concluiu doze anos depois. Na mão direita da estátua havia um faról que orientava as embarcações à noite. Era uma estátua tão imponente que um  homem de estatura normal não conseguiria abraçar seu polegarO povo de Rodes mandou construir o monumento para comemorar a retirada das  tropas do rei macedonio Demetrio, que promovera um longo cerco à ilha na tentativa de conquistá-la. Demétrio era filho do general Antígono, que herdou de Alexandre, uma parte do imperio grego. O material utilizado na escultura foi obtido da fundição dos armamentos que os macedônios ali abandonaram. A estátua ficou em pé por apenas 55 anos, quando um terremoto atirou-a para o fundo da baía de Rodes, onde ficou esquecida até à chegada dos árabes, no seculo VII pois os habitantes de Rodes não o reconstruíram (isso deveu-se ao fato de que eles visitaram um oráculo próximo dali, e esse recomendou-lhes não reconstruírem o colosso). Os árabes, então, venderam-na como sucata. Para ter-se uma ideia do volume do material, foram necessários novecentos camelos para o transportar. Aquela estátua, considerada uma obra maravilhosa, levou Carés a suicidar-se logo após tê-la terminado, desgostoso com o pouco reconhecimento público.
Farol de Alexandria:
O farol de Alexandria (em grego, ὁ Φάρος της Ἀλεξανδρείαςera uma torre construída em 280 A.C. na ilha de Faros (uma ilha, hoje uma peninsula, situada na baia da  cidade egipsia de Alexandria e ligada por mar  ao porto desta) para servir como um marco de entrada para o porto e posteriormente, como um farol.Considerada uma das maiores produções da técnica da Antiguidade, foi construído pelo arquiteto e engenheiro grego Sóstrato de Cnido mando de Ptolomeu. Sobre uma base quadrada erguia-se a esbelta torre octogonal de mármore, com uma altura que variava entre 115 e 150 metros de altura, que por mais de cinco séculos manteve-se entre as mais altas estruturas feitas pelo homem. Em seu interior ardia uma chama que, através de espelhos, iluminava a uma distância de até 50 quilômetros daí a grande fama e imponência daquele farol, que fizeram-no a ser identificado como uma das sete maravilhas do mundo por Antiparo de Sidon.Em 1994, um time de arqueológicos mergulhadores, utilizando uma série de equipamentos sofisticados (localizadores via satélite, medidor eletrônico de distância e etc), encontraram sob as águas de Alexandria grandes blocos de pedra e estátuas do farol.
Fonte Wikipedia.
Postar um comentário