Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

terça-feira, 16 de agosto de 2016

EFEITO CASCATA DO MAL.


O diretor de comunicação do Comitê Olímpico do Rio 2016, Mario Andrada, se desculpou com os nadadores dos EUA que foram assaltados na madrugada de Domingo (14), na lagoa.“Nós pedimos desculpas aos atletas americanos pela violência que eles passaram”, afirmou Andrada em entrevista coletiva no Parque Olímpico nesta segunda-feira (15). O nadador Ryan Lochte, dono de 12 medalhas olímpicas, seis delas de ouro, contou que foi assaltado por homens armados quando saía de uma festa na Hípica para a qual tinha sido convidado pelo brasileiro Thiago Pereira. Lochte e outros três atletas americanos pegaram um táxi que depois foi abordado por homens armados que se identificaram como policiais, de acordo com o Comitê Olímpico Americano.

Ainda segundo o porta-voz do Comitê, Patrick Sandusky, os supostos policiais exigiram dinheiro dos atletas e outros pertences pessoais. 
O nadador americano Ryan Lochte passou
 por um tremendo susto ao ser abordado
 por falsos policiais no Rio de Janeiro.
Um imenso orgulho ao pais receber
 varios atletas de tão alto nivel .
Em nota, o Comitê afirmou que os quatro atletas estão cooperando com as autoridades. Ao canal americano NBC News, Lochte disse que seu táxi foi parado por homens com um distintivo policial, mas sem luzes. "Eles mostraram suas armas, disseram para os outros nadadores deitarem no chão", contou o atleta. "Eu me recusei, falei que não fiz nada errado, então não vou deitar no chão. Então ele puxou sua arma, engatilhou, colocou na minha testa e disse se abaixa. Então coloquei as mãos para cima. Eu pensei então que seja. Ele pegou nosso dinheiro, minha carteira. E deixou meu celular e minhas credenciais." Os quatro atletas americanos devem ficar no Brasil até o dia 17 de agosto. A partir de agora, vão se deslocar pela cidade em um carro blindado. Na primeira semana da Olimpíada, quando ocorreram as disputas de natação, Lochte ganhou medalha de ouro no revezamento 4x100 livre masculino.
A noticia do assalto ao atleta, foi destaque
 em tabloides do mundo inteiro.
Dentro das vilas olímpicas é segurança 
máxima, porem fora dessas, 
o crime corre solto.

O assalto ao nadador americano Ryan Lochte, no Rio de Janeiro, foi o principal destaque na primeira página do tabloide nova-iorquino "NY Daily News", nesta segunda-feira. O tabloide diz que, apesar da atenção do mundo para o vírus da zika, “a criminalidade surge como a maior ameaça para os atletas no Rio”.“O incidente renovou preocupações de segurança entre a comunidade olímpica, cujos membros foram assegurados que segurança no Brasil, uma nação conhecida por casos de crime, seria uma prioridade” destaca o texto assinado por Dan Good e Leonard Greene. A matéria aponta que 85 mil soldados e policiais foram colocados nas ruas para fazer a segurança durante os Jogos Olímpicos  duas vezes mais que o Reino Unido nos Jogos de Londres, em 2012.
Quem ousar entrar nas areas "administradas"
 pelo crime organizado e adjacências,
 com certeza sera atacado.
Muitos dos criminosos são menores de
 idade protegidos pelas leis, e isso se
 torna um imenso efeito cascata do mal.
A população ja se cansou dessas desculpas esfarrapadas dadas a todo momento pelas autoridades publicas e esportistas do nosso pais, a população quer ver ação de verdade. Marginais revestidos de policiais para assaltarem não é nenhuma novidade, e no Rio de Janeiro isso ocorre a todo momento nas principais avenidas da cidade. Agora o Ministro do Esporte Leonardo Picciani (PMDB) foi bastante deselegante e grosseiro ao afirmar que a segurança dos atletas esta bastante eficiente na vila olímpica, agora em outras partes fora das vilas olímpicas nem tanto. Dando a entender que o Estado de Direito não é baba de ninguém. Ora cabe lembra-lo que nos a população não necessitamos de nenhuma baba, o que nos queremos é que as autoridades publicas responsáveis, cumpram o seu dever constitucional e eletivo.
Quadrilhas de marginais disfarçados de
 policiais não é nenhuma novidade, e 
isso ocorre direto principalmente
 no Rio de Janeiro.
O Ministro do Esporte Leonardo Picciani apenas fez o que mais as autoridades publicas brasileiras sabem fazer, ou seja o absurdo de culparem as vitimas pelas ocorrências dos crimes.

Tirem os marginais das ruas, e  devolvam novamente as cidades a aqueles que pagam seus impostos corretamente, e não permitam que marginais ditem as regras. Pois o cidadão de bem esta sendo massacrado em todos os lugares imagináveis e inimagináveis, devido a precariedade da nossa segurança publica. Os marginais tomaram conta de tudo, e aquela pessoa que ousar (por qualquer tipo de descuido) entrar nas áreas dominadas pelos criminosos, como ocorreu recentemente com a equipe de policiais da força de segurança nacional, são imediatamente atacados a tiros de fuzil. Ou seja o cidadão de bem não pode ter o luxo de errar um endereço, pois se o fizer cairá nas mãos cruéis dos criminosos que dominam a area. Agora o Ministro Picciani fez o que lhes é normal sempre, ao invés de combaterem o crime organizado e adjacências como deveriam, eles assim não o fazem, e ainda culpam as vitimas pelas ocorrências, pois em seus entenderes demagogos e hipócritas, se as pessoas não desfilassem nas ruas com objetos de valores, ou que não entrassem nas areas dominadas pelos criminosos, ou então que não saíssem de suas casas (se bem que nem dentro das casas existe segurança) nenhum crime ocorreria, é assim que nossas autoridades publicas pensam e agem, por isso esta tudo caótico dessa forma.
Fonte G1 Noticias.
Postar um comentário