Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de junho de 2017

VIDA E MORTE.

Um jovem de 29 anos foi preso na cidade de Prata (MG) na noite deste domingo (28) depois de ir ao Cemitério Municipal, desenterrar o irmão que morreu há quase um ano e andar com o caixão sobre uma bicicleta por vias da cidade. Um dos responsáveis pela administração do Cemitério Municipal, Bruno Gonçalves, informou que o local é fechado por volta das 18h e o vigilante vai embora, deixando as luzes acesas. “Ele pulou o muro e sozinho conseguiu retirar a tampa do túmulo. Há muitas casas nas proximidades e moradores que têm o costume de sentar na calçada, mas ninguém o viu saindo. É algo que a gente nunca imagina que aconteceria em Prata, que é uma cidade muito tranquila”, disse. Um morador que viu o rapaz empurrando a bicicleta fez imagens e o vídeo foi compartilhado pelas redes sociais.
O jovem retirou o caixão do tumulo, 
e saiu pelas ruas da cidade 
passeando com ele de bicicleta.
As pessoas  ficaram impressionadas
 e assustadas, com a atitude do jovem.
 A Polícia Militar (PM) foi acionada e abordou o autor no Bairro Jardim Brasil por volta das 19h. Aos militares, ele disse que sonhou com o irmão pedindo para andar de bicicleta e esperou o cemitério fechar para invadir o local e abrir o túmulo. Depois de retirar o caixão do jazigo, ele iniciou o passeio. Apesar do longo período desde o sepultamento, o caixão aparentava estar intacto. Foram constatados que os restos mortais do homem estavam dentro do caixão. Ainda de acordo com as informações da PM, o jovem parecia estar bastante transtornado e chegou a ser algemado por desacatar as ordens dos militares. Ele disse que só cometeu o ato porque sentia muitas saudades do irmão, sem nenhuma intenção de profaná-lo. Testemunhas relataram que desde a morte do irmão o homem vinha apresentando distúrbios psíquicos.
A mente humana é capaz de realizar 
coisas impressionantes
 e inimagináveis.
Quem poderia imaginar que uma 
pessoas seria capaz de passear pelas
 ruas de bicicleta carregando um caixão?
Ele foi preso em flagrante por vilipêndio de cadáver, considerado crime de desrespeito aos mortos e previsto no Código Penal Brasileiro. Se condenado, pode pegar de um a três anos de detenção, além do pagamento de multa. O jovem assinou um termo para comparecer à Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos e em seguida foi liberado. Segundo Gonçalves, após o fato a funerária foi acionada e na mesma noite o caixão foi devolvido ao túmulo. Ele explicou que a equipe passou a ser encarregada pelo cemitério recentemente e que jamais imaginaria que algo dessa natureza aconteceria em Prata. Diante dos fatos, já estão sendo providenciadas novas medidas para reforço da segurança no local.
Perder uma pessoa querida e ter a 
certeza absoluta que nunca mais
 sera vista novamente, mexe com os
 mais íntimos sentimentos humanos.
Uma bicicleta, uma urna funerária e uma 
mente extremamente perturbada que
 não conseguiu minimizar o sentimento
 de perda e também não assimilou a 
relação natural entre a vida e a morte.
Quem em sã consciência seria capaz de condenar uma pessoa que em um momento de extrema desilusão pelo desaparecimento precoce de um ente querido, e que  devido a essa extrema situação de perda, e em sua condição psicológica e pertubação mental, opte por invadir um cemitério municipal, retirar uma urna funerária de seu lugar de repouso e ainda sair pelas ruas da cidade passeando com ela. Apenas mesmo uma pessoa extremamente perturbada seria capaz de agir dessa maneira tão excepcional e maluca. É difícil para todo mundo essa nova condição de vida onde perde-se um pessoa amada, e que nunca mais se ira ve-la novamente. Somente mesmo quem ja passou por uma situação dessa pode afirmar como isso é  difícil de-se aceitar. E também não são todas as pessoas que possuem esse preparo psicológico para conseguirem aceitar e conviverem com essa perda inestimável por toda vida. Quem discordar dessa atitude transloucada... que atire a primeira pedra. A vida não termina com a morte, é apenas uma passagem cósmica para uma outra dimensão superior.
Fonte Gazerta On line. 
Postar um comentário