Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de maio de 2017

TEATRO DE HORRORES.

Um homem teve á face  desfigurada por acido sulfúrico atirado em seu rosto por um desconhecido, quando passeava pelas ruas, ninguém consegue explicar o porque de tanta maldade e crueldade contra um semelhante, á policia esta desesperadamente á procura deste criminoso, e espera prende-lo o mais rapido possivel.
Um homem ficou com o corpo muito 
queimado durante um incêndio em 
uma residência, quando houve um 
vazamento de gas seguido 
de uma explosão violenta.
Um assassino antes de executar á sua vitima, 
torturou-a muito decepando partes do seu 
corpo e depois guardando tudo dentro de uma
 geladeira, toda essa barbárie foi filmada
 e fotografada pelo psicopata assassino,
 que continua ainda foragido.
O corpo de uma infeliz vitima do assassino esquartejador, desmembrado e abandonado
 em uma poça de sangue, uma cena  de 
crueldade que até parece ser de cinema...
...Desculpem-me pela brincadeira, é tudo mentira, essas fotos acima são todas maquiagens de cinema realizadas pelos fantásticos maquiadores de Hollywood, que realizam um trabalho perfeito com um realismo fora do normal, á primeira vista parece-se realmente com uma pessoa desfigurada por acido, queimaduras e um esquartejamento de um corpo numa poça de sangue ou melhor numa poça de molho de tomate  Lançado em 1985 e dirigido pelo famoso mangaká Hideshi Hino, Flower Of Flesh And Blood pode ser facilmente definido como doentio e chocante, e aqui cabem algumas curiosidades que só comprovam a rotulação. 
Esse material é um tipo de borracha
 sintética, no formato de uma mão humana
 sendo decepada, com o famoso e tradicional
 catchup, é tudo truque de filmagem, que 
causam grande ilusão de ótica, á primeira vista. 
Esse corpo esquartejado no meio do sangue, também é um truque, uma boneca feita também com o mesmo material (borracha sintetica), que da á seria impressão de ser um corpo humano destrinchado, coisa de cinema, esse é o filme do diretor Mangaka Hideshi, Flower Of Flesh And Blood, um documentario do cinema oriental.
Em seu primeiro contato com o filme, o ator Charlie Sheen fez uma denúncia ao MPAA e ao FBI, relatando que um homem estava matando as pessoas e fazendo filmes amadores dos assassinatos. Obviamente, depois de uma investigação, tudo foi comprovado como ficção. Outro fato interessante aconteceu na captura do serial killer japonês Tsutomu Miyazaki, estuprador e canibal. Quando a polícia fazia a revista em sua casa, várias fitas da série Guinea Pig foram encontradas. Algumas, inclusive, acreditava-se serem obras do próprio Miyazaki, mas tudo não passa de lenda urbana.
OUTRAS CARAS PERFEITAS.
O mitológico lobisomem teve varias 
metamorfoses e esta ficando cada vez
 próximo da perfeição, e com movimentos realísticos dos músculos 
do rosto, deu um grande realismo ao 
personagem dos filmes de terror.
Á lindissima atriz Daryll Hannah, 
ficou assim depois de maqueada.
Somente os trabalhos riquíssimos
 em detalhes, conseguem engordar, 
rejuvenescer e até envelhecer
 um personagem com uma 
perfeição fantástica.
O inesquecível Heath Ledger,
 interpretando o vilão
 psicopata Coringa.
Á delicada Gwenyth Paltrow ficou 
enorme depois que passou
 pelos manqueadores.
Eddye Murphy, ficou muito engraçado
 na pele da gigantesca Rasputia.
Mas na minha opinião o maquiagem
 mais perfeita de todas foi o Robin
 Willians interpretando uma babá.
Tudo começou com as orelhas pontudas de Dr. Spock no filme Star Trek, de 1969. Mas o título de make up artist badalada em Hollywood se consolidou com astros como Michael Keaton, encarnando o fantasma de Beetlejuice, Johnny Depp, em Edward Mãos de Tesoura, Ed Wood e Piratas do Caribe, Jude Law, em Inteligência Artificial, como o Love-Robot, Robin Williams, em Uma Babá Quase Perfeita, Al Pacino, em Big Boy Caprice, como Dick Tracy, e com Danny De Vito como o pinguim em Batman Returns.
Fonte Wikipedia.
Postar um comentário