Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de maio de 2017

ESPÍRITOS DA FLORESTA.

Em uma das primeiras tentativas de colonização do Novo Mundo, em 1587 uma colônia inglesa foi estabelecida na ilha da Roanoke, hoje parte da Carolina do Norte. Liderados por John White, eles passaram por muitas dificuldades e White foi obrigado a rumar de volta à Inglaterra em busca de suprimentos, deixando em Roanoke outros 113 colonos incluindo sua filha Eleanor, o esposo dela Ananias Dare e a filha deles, neta de White, Virgina. Devido a diversos contratempos, John White só pôde voltar a Roanoke três anos depois. Ao aproximar-se da ilha, White pôde até mesmo ver fumaça no local onde esperava encontrar os colonos que havia deixado para trás. 
A esquadra inglesa aportou na ilha 
Roanorke em 1587, tentando coloniza-la,
 mas desapareceram misteriosamente.
Como estava tarde, ele e seus companheiros resolveram esperar até o amanhecer para desembarcar. Mas quando amanheceu e eles dispararam os canhões dos navios para avisar que a ajuda havia finalmente chegado, não houve resposta. Eles desembarcaram, mas não havia nenhum sinal de vida. White nunca encontrou sua filha ou neta, nem nenhum traço das 113 pessoas que deixou para trás. Tudo que encontrou em Roanoke foi uma inscrição em uma árvore com as letras "CROATOAN". Tudo isto realmente aconteceu e é parte bem conhecida e sólida da história americana. Agora, o que realmente aconteceu em Roanoke? Para onde foram os colonos? Será que foram abduzidos por extraterrestres? Será que alcançaram um novo nível vibratório-dimensional e como conseqüência acabaram sumindo? Será que descobriram o segredo do Universo e implodiram na malha quântica do continuum tetra dimensional
Chegaram ate a construir um 
forte, para impedir que outros 
colonizadores a invadissem.
Será que a conjunção numerológica de 113 colonos trabalhou contra eles e o bicho papão os pegou? Stephen King aproveitou muito bem a intrigante história de Roanoke em alguns de seus livros. ‘A Tempestade do Século’, em particular, sugere ficcionalmente que todos os colonos foram levados por um ser demoníaco a se jogar no mar devido aos seus pecados. Diversos livros sobre o paranormal citam o caso de Roanoke ao lado do navio Marie Celeste e a IX Legião de Hispana como exemplos misteriosos em que inúmeras pessoas simplesmente sumiram sem deixar vestígios. O caso dos maias entretanto é o mais citado na ufologia e alcançou notoriedade recente devido ao best-seller ‘A Profecia Celestina’, mas isto é tema para outro texto em ‘Ceticismo Aberto’. O que torna o ‘caso’ de Roanoke intrigante é geralmente a omissão de informação. 
O então governador interino Ananias
 Dare demorou para perceber que 
o que acontecia na ilha era sobrenatural.
Até hoje ninguém sabe com certeza o que ocorreu com os colonos de Roanoke, mas o que sabemos sobre eles é suficiente para eliminar os mistérios mais perturbadores. Por exemplo, um aspecto aparentemente bizarro da história é a inscrição ‘CROATOAN’. O que isso significa e por que os colonos teriam deixado essa, e apenas essa mensagem antes de sumir?Alguns dizem que ‘Croaton’ seria um demônio antigo da mitologia indiana. Isso parece apoiar a teoria de que o bicho papão pegou todo mundo. No entanto, toda especulação em torno disto torna-se inútil quando trazemos à mesa duas informações omitidas até aqui: 1- Croatoan é o nome de uma ilha a sul de Roanoke;  2- Antes de partir, John White combinou com os colonos que se eles tivessem de partir para algum outro lugar (devido à escassez de alimentos ou qualquer outro motivo), deveriam inscrever o nome deste lugar em uma árvore. Se a partida ocorresse em meio a algum perigo, deveriam inscrever uma cruz junto do nome do local de destino. As coisas ficam bem diferentes quando sabemos desses pequenos detalhes, não? 
Assim que chegaram a ilha, foram avisados
 pelos indios sobre os "espiritos diabolicos"
 que ali viviam, mas desprezaram os  avisos.
Ao se deparar com a inscrição ‘Croatoan’, John White presumiu que os colonos haviam ido para a ilha de Croatoan, e como não havia nenhuma cruz, que isso havia sido feito sem sinal de perigo. Ele estava se preparando para partir rumo a Croatoan em busca dos colonos, mas o destino que o impedira de voltar por três anos interferiu novamente. Houve uma forte ventania que danificou os navios, e navegar pela costa tornou-se muito perigoso. White foi forçado a voltar para a Inglaterra e nem ele nem nenhuma das diversas expedições posteriores jamais encontrariam o que se tornaria a ‘Colônia Perdida’. Parece que ainda há um ar de mistério aqui. Os colonos devem ter saído de Roanoke rumo a Croatoan, mas e depois? Por que nenhum sinal deles foi encontrado? Temos aqui outra omissão de informação. Com um pouco de pesquisa descobrimos que os índios Croatoan de fato afirmam que os colonos realmente chegaram e por lá ficaram. Como indício disto, mostram sinais dos colonos: há alguns traços físicos ‘tipicamente brancos’ entre eles e há mesmo alguns nomes ingleses entre eles. 
O filme retrata fielmente o que teria 
sido uma batalha entre humanos e 
espíritos demoníacos habitantes daquela ilha.
Segundo os índios, realmente há sinais dos colonos que deixados à própria sorte se mesclaram com eles e aparentemente ‘sumiram’.Fim do mistério? Bem, essa é apenas uma das explicações, e não é particularmente muito aceita. É difícil que pouco mais de cem colonos tenham tido um efeito tão grande nas tribos nativas. Todos os sinais que os índios apresentam podem muito bem ter sido adquiridos nos séculos posteriores à alegada integração dos colonos de Roanoke. Nos últimos anos, surgiu uma teoria convincente sobre a ‘Colônia Perdida’. Os colonos teriam partido rumo a Croatoan, e assim que lá chegaram, teriam se dividido em duas facções. A menor permaneceu em Croatoan e se mesclou com os índios nativos. A maior continuou rumando à Baía Cheaspeake. A facção maior sobreviveu até aproximadamente o século XVII, quando foi exterminada por um ataque, provavelmente de Powhatan, conhecido por ser o pai de Pocahontas. 
Restou apenas uma palavra escrita em
 uma arvore com o nome de uma ilha 
próxima ou seria o nome de um 
demônio mitológico.
Como se enfrentar um inimigo que
 aparece e desaparece do nada
 e não pode ser tocado?
Esse é mais um grande mistério 
que ate hoje não teve uma resposta
 plausível sobre o seu real ocorrido.
Powhatan teria feito isso porque temeria uma aliança entre os sobreviventes de Roanoke e os colonos de Jamestown, uma aliança que poderia mostrar-se forte demais para ser controlada. Ou seja, os colonos de Roanoke em parte se integraram em Croatoan e em outra parte sobreviveram até serem aniquilados em uma luta. Em ambos casos, nenhum traço mais evidente restaria.Como dito, ninguém tem certeza sobre o destino da ‘Colônia Perdida’. No entanto é só a omissão muitas vezes deliberada de informação que cria um mistério sobrenatural. Não apenas a colônia desapareceu, até hoje muitos somem com informações importantes que em conjunto tiram o tom sobrenatural do caso. Aliás, eu já disse que a colônia de Roanoke foi a segunda tentativa de colonizar a costa leste da América do Norte? A primeira fracassou, sendo que os colonos foram obrigados a voltar para a Inglaterra. Colonizar um continente não é tarefa fácil, e não precisamos pensar em um bicho-papão alienígena para explicar o desaparecimento de uma colônia.
Fonte Ceticismo Aberto.
Postar um comentário