Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

O HOMEM E A LUA.

Os documentos poderão provar que o programa espacial americano “levou o mundo a uma série de enganos”, afirmou o ex-coronel da KGB que está prestes a lançar o Programa Lunar da Rússia. RFSA (Agência Espacial Federal Russa ) promete atestar que os EUA nunca chegaram à Lua, A forma como os governos procederam até o momento não é algo que possamos recriminar, porém as "capacidades técnicas não estavam presentes no momento”, admitiu o ex-coronel. O dossiê informa que a viagem de 1969 não passa de uma crença popular e contesta que não havia meios tecnológicos (por parte dos russos) para contestar os americanos na época.
Aquela que seria a maior de todas
 as expedições humanas, pode 
ser uma grande farsa!
Como explicar uma bandeira comum
tremulando em uma atmosfera sem
 ar ou qualquer tipo de brisa?
Funcionários do alto escalão russo estavam conscientes de que o feito não era possível com a tecnologia disponível na época, reivindica o Romanov, que espera lançar a primeira missão tripulada à Lua até 2020. Teóricos da conspiração afirmam que durante o primeiro pouso na Lua (que foi transmitido ao vivo na TV), os telespectadores puderam ver claramente a bandeira americana sacudindo como que se existisse vento por lá. Após Neil Armstrong e Buzz Aldrin cravarem a bandeira americana no chão, imagens mostram a bandeira ondulada, como se estivesse sobre efeito de uma brisa. O fato é que não há ar na atmosfera da lua, e, portanto, qual vento teria causado os efeitos na bandeira?
O ex-coronel russo afirma que 
não existia tecnologia suficiente
 na época para tal expedição.
Especialistas alegam que a pegada 
deixada por Aldrin, fotografada, seria 
bem rala, e quase não apareceria devido
 ao solo lunar não possuir umidade.
Um ex-cientista disse que na década de 60 não havia fotografia digital e de acordo com laudo de técnicos e engenheiros da Kodak e Fuji (as maiores fabricantes de filmes fotográficos do mundo), não existe conjunto celulóide (filme) capaz de suportar variações de temperatura no 270º a 140º graus C.“A Rússia está prestes a embarcar em uma missão tripulada inédita. O mundo deve saber que isso nunca foi feito antes. Nada será feito em um estúdio de filmes de Hollywood, como a América vem tentando esconder durante os últimos 47 anos “, disse Komarov. O ex-coronel da KGB chama o Programa Espacial Americano de enganoso: “Paradigmas precisam ser quebrados e a ciência necessita superar conceitos populares que foram construídos através de fraudes” Romanov ainda garante que: “O Programa Espacial Lunar russo será a primeira tentativa na história da humanidade a tentar um pouso real na Lua”, explicou.
O argumento mais forte sobre
 essa viagem, seriam as fotos
 das sombras lunares.
Yuri Gagarin um russo,em 1961 foi 
o primeiro homem a ir para o espaço, a 
bordo se sua astronave Vostok 1.
Outra discussão envolve mais uma foto clássica: a pegada de Aldrin, perfeitamente registrada em solo lunar. Quem acha que a viagem não aconteceu diz que é outro erro clássico. O vácuo e a ausência de umidade deixariam a marca da pisada com uma aparência frágil, como em areia fofa. As teorias mais viajadas dizem até que Stanley Kubrick foi o diretor encarregado da criação do cenário da Lua e responsável pela atuação dos exploradores,  e ninguém seria melhor que Kubrick, diretor de “2001: Uma Odisseia no Espaço”, para dirigir a grande farsa lunar. Se foi mesmo assim, pobres astronautas, pois o cineasta é conhecido por repetir a gravação da mesma cena mais de 100 vezes, até que ficasse do jeito que ele queria. Mas e se Kubrick não estava envolvido, quem iria construir um cenário tão perfeito? Para algumas pessoas, nem precisava: os Estados Unidos já tinham a região desértica de Nevada, um Estado no oeste do país que seria muito similar ao solo lunar apresentado no material divulgado.
Fonte Agencia Ria Novosti.
Postar um comentário