Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

sábado, 24 de setembro de 2016

AVIÃO SEM ASAS.

Um veículo elétrico construído por uma equipe de engenheiros da empresa Venturi, com sede em Mônaco, e da Universidade Estadual de Ohio quebrou o recorde mundial de velocidade em terra  anunciou o fabricante em um comunicado. Dirigido pelo piloto de testes Roger Schroer, o Venturi Buckeye Bullet 3 (VBB-3) atingiu velocidade média de 549,43 km/h, e máxima de 576 km/h, durante um percurso de 1,6 km no deserto de sal de Bonneville, nos Estados Unidos, na segunda-feira (19). O recorde anterior, de 495 km/h, foi registrado em 2010 pelo antecessor do VBB-3, o VBB-2.5. A terceira geração do veículo é equipada com 2 motores elétricos de cerca de 1.500 cv cada um, o que resulta em uma potência de mais de 3.000 cv. O torque chega a incríveis 285,5 kgfm. O Bugatti Chiron, por exemplo, não passa dos 163 kgfm. Embora não aparente, o VBB-3 possui 4 rodas e pesa cerca de 3,5 toneladas, sendo que quase metade (1,6 tonelada) é apenas o conjunto de 2 mil baterias.
A equipe muito orgulhosa do fantástico
 feito realizado por seu veiculo elétrico.
O Venturi bateu o record de velocidade
 para um veiculo eletrico, 576 Km/h.
 Há três anos, a equipe do VBB-3 esperava poder estabelecer novos recordes no deserto de sal, que apresenta condições perfeitas para esse tipo de teste extremo, mas esforços anteriores foram cancelados devido ao clima ruim em Bonneville. "É um alívio, porque nós estávamos esperando por esse resultado há três anos", disse o proprietário da Venturi, Gildo Pallanca Pastor, em um comunicado. "Os avanços registrados neste ano são um passo muito importante para a nossa meta de atingir 643,7 km/h", comemorou o diretor de Pesquisas do Centro de Pesquisa Automotiva da Universidade Estadual de Ohio, Giorgio Rizzoni.  Os mais poderosos nem podem ser chamados de carros: são praticamente aviões adaptados para andar no chão. É o caso do campeão ThrustSSC, um bólido inglês que já chegou a 1 227 km/h, superando em 3 km/h a velocidade do som. Na verdade, o ThrustSSC é uma aeronave sem asas, composto de um cockpit encaixado entre duas turbinas de caça. 
O veiculo Thrust SSC, é mesmo um avião
 sem asas, e com turbinas gigantescas.
Bateu todos os records de velocidade para
 um veiculo no chão chegando facil 
aos 1 227 Km/h, e superando por 
apenas 3 Km, a barreira do som.
Sua impressionante potência é de 100 mil cavalos, o equivalente à potência de 111 carros de Fórmula 1 da Williams ou, para comparar com algo mais pé-no-chão, 1 818 Fiat Palio. Se o carro a jato tivesse autonomia para uma viagem longa, percorreria os 429 quilômetros entre São Paulo e Rio de Janeiro em pouco mais de 20 minutos. Mas ele precisaria de uma estrada especial: para que atingisse seu recorde de velocidade, há seis anos, o trambolho teve de ser levado até um lugar com 120 quilômetros de chão impecavelmente plano, o deserto de Black Rock, nos Estados Unidos. Foi lá também que outro carro a jato garantiu seu lugar na primeira fila dos mais velozes: o Spirit of America, que em uma tentativa frustrada de quebrar a barreira do som cravou 1 086 km/h. Apesar dessa rapidez estonteante, esses caças sobre rodas levariam uma surra de qualquer Fórmula 1. Afinal, os carros da modalidade são insuperáveis nas curvas: os pilotos podem virar bruscamente o volante a mais de 200 km/h sem perder estabilidade. 
Os veículos estão se aproximando 
cada vez mais dos aviões.
E ecologicamente corretos, com 
motores ultra potentes e sem poluição.
Com velocidades super sônicas, 
ultrapassando a barreira do som.
Como os circuitos da F-1 são travados, a velocidade final não é tão importante na categoria. Tanto que um dos recordes mais duradouros foi justamente a melhor média de velocidade em uma prova: 242 km/h, marca cravada em 1971 pelo britânico Peter Gethin, em Monza, quando a pista italiana era praticamente um oval. Mesmo dirigindo um carro BRM que hoje nem se classificaria para uma corrida de verdade, sua marca só foi batida neste ano pelo devorador de recordes Michael Schumacher, que chegou a 247 km/h de média na mesma pista. Seu carro era duas vezes mais potente e infinitamente mais equilibrado que o de Gethin, mas o hexacampeão teve de penar para melhorar o índice porque a versão atual de Monza tem muito mais curvas no traçado. Lembrando que o Venturi é um veiculo totalmente elétrico, e o seu record refere-se apenas aos veículos elétricos, de 576 Km/h e sendo o Trust SSC um veiculo com turbinas ou mais próximo de um avião no solo e com incrível velocidade de 1 227 Km/h.

Fonte BBC.
Postar um comentário