Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de junho de 2016

VIDA ALEM TERRA.

A nave Curiosity da NASA, conhecida oficialmente por Laboratório Cientifico de Marte, chegou ao planeta vermelho no ultimo domingo dia 05,  no qual vai passar dois anos procurando sinais que indiquem que Marte já abrigou um dia ingredientes para a existência da vida.O projeto custou US$ 2,5 bilhões (cerca de R$ 5 bilhões), e exigiu um sistema muito complicado de pouso no planeta (os “sete minutos de terror”) por conta de seu tamanho e peso Curiosity é mais de duas vezes maior e cinco vezes mais pesado que outras naves da NASA, como Spirit e Opportunity.
Sonda Curiosity, ja esta realizando 
pesquisas no planeta Marte.
Pesando 899 kg e carregando mais 80 kg de instrumentos científicos, a sonda precisava ser do tamanho de um carro SUV. Esse tamanho todo, além de causar tensão no pouso (no qual um errinho qualquer pode comprometer toda a missão), também exige muito combustível, o que torna a nave muito cara. Sendo assim, cientistas estão trabalhando com “nanorobôs” para substituir as sondas atuais, pois necessitariam de menos recursos, seriam muito menores (cerca de um bilionésimo do tamanho de Curiosity), e poderiam tornar missões futuras mais práticas e frequentes.
Agora com essas pesquisas no solo
 do planeta os cientistas poderão comprovar
 se um dia houve vida  inteligente nesse planeta.
Os primeiros nanorobôs imaginados pelos pesquisadores seriam como “grãos de areia inteligentes”: uma nave “despencaria” cerca de 30.000 nanorobôs do tamanho de um grão de areia, que se movimentariam usando o vento de Marte como propulsão, aproveitando a baixa gravidade local (38% do que a da Terra).Cada robô deve conter um nano processador, uma antena para comunicação com seus vizinhos, um sensor de coleta de dados e uma “casca” controlada remotamente que permite mudança de forma. Uma vez no chão, os robôs seriam capazes de cobrir milhares de quilômetros do planeta, estudando sua composição química e comunicando as informações para a Terra.
Sera que esses marcianos um dia foram
 parecidos com alguns terráqueos, com 
anteninhas na cabeça?

Para missões mais complexas, como a escavação sob a superfície de Marte, os robôs precisariam se deslocar de forma autônoma. Pesquisadores da NASA já começaram a desenvolver conceitos de robôs minúsculos, chamados TET walkers, capazes de fazer exatamente isso. Os TET walkers também poderiam se ligar para formar dispositivos como sondas e antenas, que podem viajar o planeta em busca de sinais de vida e água. O problema é que, até agora, os engenheiros só conseguiram construir exemplos de dois metros de altura. Para produzir um protótipo em nanoescala, os cientistas precisam de nanotubos avançados que pudessem mover-se e reorganizar-se para formar diferentes tipos de materiais.

Os Tet Walkers, são equipamentos 
controlados a distancia, evitam a exposição 
direta do ser humano a algum ambiente inóspito.
A NASA imagina que, dependendo da velocidade do desenvolvimento da nanotecnologia e do financiamento do projeto, os TET walkers poderiam pousar em Marte nos próximos 30 a 40 anos.Outro problema que deve ser vencido é a radiação intensa do planeta, assim como suas condições meteorológicas extremas. Para que nanorobôs consigam realizar missões de longo prazo em Marte, é preciso uma “casca” muito protetora.Constantinos Mavroidis, um engenheiro da Universidade Northeastern (EUA), está trabalhando em uma ideia de uma teia de aranha que protegeria os robôs, possibilitando que eles fizessem medições a longo prazo do clima e atividade sísmica do planeta.
Aparentemente Marte ainda é um planeta 
desabitado, e os estudos irão expor isso.
Tudo no começo era apenas um sonho, 
mas agora ja podemos ver alguns resultados 
registrados pelas sondas espaciais.
Muito interessante isso, e parece que o planeta Marte,  desabitado e quase do tamanho do nosso planeta, e com uma atmosfera desconhecida, mas que pode ja ter possuído vida, mas hoje parece que essa vida  é microscópica e encontra-se apenas no sub-solo, e quem sabe futuramente os grandes projetos realizados com os grandes cientistas mundiais, em expedições  conjuntas possam conseguir uma maneira de transformar esse planeta em habitável, e a partir disso, nos então poderemos encontrar uma maneira de livrar-mo -nos de algumas pessoas indesejáveis aqui em nosso planeta, poderíamos pegar todos os corruptos e os ladrões, e bandidos de toda especie,  e manda-los todos a uma visita a esse planeta com passagem só de ida, quem sabe um dia poderemos realizar esse sonho.
Fonte BBC.
Postar um comentário