Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

MILAGRE MEDICO.

Um caso de recuperação considerado raro pela medicina completará um ano no próximo mês. O caso aconteceu na manhã de 21 de fevereiro de 2015, em Tresckow, no estado da Pensilvânia, Estado Unidos. O estudante Justin Smith, de 26 anos, foi encontrado desacordado, caído sobre a neve onde havia passado um noite onde a temperatura chegou a -4ºC. Embora todos os sinais levassem a acreditar que ele estava morto, após algumas horas e inúmeras tentativas de ressuscitação, Justin foi reanimado com uma técnica que esquenta o sangue. O drama do estudante de psicologia Justin Smith começou na noite anterior, quando ele voltava a pé para casa após ter encontrado com com amigos em um centro social a cerca de 3km de distância. Era 21h30 quando Justin provavelmente caiu, bateu a cabeça, ficou desacordado e congelou  literalmente - até a manhã do dia seguinte.
Justin Smith ficou morto por algum tempo, 
com o corpo completamente congelado.
Os paramédicos atestaram o óbito 
devido ao alto grau de congelamento 
e sem nenhum sinal vital.
Foi o pai do jovem, o professor Don Smith, que o encontrou por volta de 7h30. Justin estava caído de costas sobre um monte de neve, sem casaco e de olhos abertos, olhando para cima. "Todos os sinais nos levam a acreditar que ele esteja morto há bastante tempo", foi a frase de um paramédico ao fazer contato com a polícia. Segundo o pai, Justin estava congelado como um bloco de concreto. Chegando na emergência do hospital de Lehigh Valley, o estudante foi atendido por uma equipe de 15 pessoas onde passou por duas horas de ressuscitação cardiopulmonar, enquanto seu corpo era reaquecido lentamente. Em seguida, foi levado de helicóptero até um hospital em um voo que durou aproximadamente 18 minutos. Durante o percurso, foi necessário realizar 100 compressões cardíacas por minuto com oxigenações para que fluxo de sangue para o cérebro fosse mantido.
Para proteger os órgãos vitais o corpo 
cessa a circulação para os membros
 inferiores e superiores que sofrem 
gangrena por causa disso.

E sem a circulação esses membros
 morrem e precisam ser amputados.
 Já no hospital, Justin foi definitivamente ressuscitado por meio de um procedimento chamado oxigenação por membrana extracorpórea. Nele, o sangue é removido, oxigenado, aquecido e bombeado de volta ao corpo. Esse tipo de técnica geralmente é utilizado como último recurso para salvar a vida de pacientes com pulmões ou corações comprometidos por infarto ou casos graves de gripe. Contudo, o cirurgião cardioterápico James Wu, que atendeu Justin, disse à família para se preparar para o pior, já que as chances de sobrevivência do paciente ainda eram de 50%. Contudo, uma hora e meia depois o corpo do jovem estava se aquecendo e logo o coração começou a bater sozinho. Os paramédicos descreveram a situação do estudante como um "milagre médico" e informaram que talvez esse seja o primeiro caso onde uma pessoa sobreviveu a uma hipotermia tão grave.
Surpreendendo a todos os médicos 
ele voltou a ter uma vida normal
 e sem nenhuma sequela grave.
Morrer e voltar a vida um desafio 
vencido por poucos na face da terra.
Depois de totalmente recuperado ele
 voltou ao hospital para agradecer aos 
medicos que lhe deram uma vida nova.
 No início Justin ficou em coma e mantido vivo com ajuda de aparelhos. Existia a suspeita de que ele pudesse sobreviver em estado vegetativo mas, dias depois, testes mostravam que o cérebro do estudante já estava normal. Foram cerca de três meses internado. Justin teve os dedões dos pés e os dedos mínimos da mão amputados em decorrência de gangrena,  uma consequência pequena para quem ganhou a vida de volta. No geral o caso do jovem causou euforia nos médicos, que acreditaram presenciar um milagre. Aos poucos a personalidade, memória e atenção de Justin voltaram e após alguns meses de recuperação, ele já retornou as atividade normais como praticar golfe. O estudante também já planeja o retorno à universidade. Nesta semana, Justin voltou ao hospital para agradecer à equipe que salvou sua vida. "Eu sou apenas muito grato. Sou a prova do que pode acontecer quando grandes pessoas trabalham em conjunto", disse ele.
Fonte Gazeta On Line.

Postar um comentário