Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

domingo, 5 de julho de 2015

NATUREZA E TECNOLOGIA.

Um pais castigado por diversos fenômenos naturais de altíssima intensidade, furações de nivel 5, tsunamis, terremotos que devastam cidades inteiras como o ocorrido em 1998 na cidade de Kobe, e que ainda respira resticios de uma cruel bomba atômica, e que também fica localizado em uma minúscula ilha no Oceano Pacifico, nada disso é empecilho para o povo oriental mais criativo do mundo, colocar em pratica seus objetivos, e não existe nada que uma imaginação fértil e uma montanha de dinheiro não possam realizar, alem da imponente arquitetura urbana com os arranha-céus tirados da ficção científica e dos palácios imperialistas, tudo contrasta em uma harmonia sem igual.
Um conjunto de ilhas com o formato de um arco, estendendo-se entre as latitudes 2Oº25e 45º33 norte e as longitudes I22º56e 153º59leste, o Japão localiza-se a leste do Continente Asiático, entre o Mar do Japão e o Oceano Pacífico. Sua extremidade mais ao sul fica quase na mesma latitude que o meio do Deserto do Saara ou a extremidade sul de Cuba. Sua  extremidade mais ao norte está quase na mesma latitude que o sul da França, o norte da Itália, Ottawa e Mineápolis. A Hora Padrão do Japão corresponde à do leste da Sibéria e à da Austrália, e está nove horas à frente de Londres GMT. A área total de terra do Japão, aproximadamente 380.000 quilômetros quadrados, representa apenas cerca de 1/60 da área to­tal da União Soviética e menos de 1/25 da do Canadá, China ou Estados Unidos. Uma área comparável abrangeria a do Reino Unido e Tchecoslováquia combinados; Hokkaido seria pouco menor que a Áustria, e Kyushu é menor que a Holanda ou a Suíça. Por ser uma nação ilha, o Japão possui um longo litoral e uma grande área econômica costeira (estendendo-se por duzentas milhas náuticas a partir da costa), a sétima maior do mundo.
Navios circundam á baia de Mikawa,
 preparando o perímetro de todo
 o projeto, para inicialização 
da gigantesca obra.
Todas as marcações foram realizadas 
utilizando-se de GPS, e com tecnologia
 de ponta como nunca se viu no mundo
 antes, era como se realizasse um 
grande risco imaginário nas aguas do mar.
Aos poucos foi se formando 
o desenho e o sonho
 começou á se materializar.
Teria que ser feita uma construção
 perfeitíssima nos mínimos 
detalhes sem desprezar
 as ondas e as mares. 
Depois de tudo idealizado e 
feito os perímetros,
começaria então á colocação
das estacas de sustentação.
Para um leigo parecem desenhos
 repetitivos, mas que tornam-se 
necessários devido a magnitude
 e sofisticação dessa obra.
Depois das colunas implantadas, 
da-se então o enchimento do meio 
com milhares e milhares de toneladas de terra.
 E aos poucos o aeroporto dos
 sonhos vai  tomando forma.
Essa gigantesca obra movimentou
 milhões de empregados em todas
 as categorias profissionais da construção.
 Do alto da para ver os formados dos 
grandes galpões e dos Angares.
Olhando-se até que essa foto
 aérea do aeroporto se parece muito
 com uma placa de circuito eletrônico.
Uma bela visão com o mar ao 
fundo, contraste entre 
á natureza e á tecnologia.
Tudo foi pensado minunciosamente entre 
todos os detalhes da construção.
Grande parte dessa obra so foi possível
 por monitoramento aéreo e de satélites,
 algo que fica abreviado, seria o
 impacto ambiental futuro, que 
ainda com certeza sera causado por ela.
Quase tudo pronto para sua
 grande inauguração.
Mesmo depois de tudo pronto, 
existe ainda á necessidade de-se 
trabalhar infinitamente nos mapas aereos.
Um sonho "impossível" que se 
tornou realidade, mostrando que
 tudo pode ser realizado para quem quer fazer. 
É muito bom ver um povo que trabalha
 e sonha acordado, parabéns aos 
japoneses por essa fantástica obra.
O aeroporto de Nagoya, também conhecido como aeroporto do Japão Central ou aeroporto de Chubu, é um aero-ilha que serve a área urbana de Nagoya, no Japão sendo um dos maiores e mais modernos do mundo. Tem alguns vôos domésticos, mas principalmente os destinos são internacionais, como China, Sudeste Asiático, Austrália, algumas partes da Europa e dos Estados Unidos, entre outros. Ao redor de 11 milhões de passageiros viajaram em 2009.

Fonte BBC.
Postar um comentário