Visualizações de páginas da semana passada

TODAS AS POSTAGENS DO BLOG

OBRIGADO PELA VISITA, SEJA BEM VINDO, ESPERO QUE GOSTE, VOLTE SEMPRE.
Loading...

Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

MULHER NA POLICIA

Primeira equipe de policia de elite 
composta apenas por mulheres, 
são mulheres 1000 graus!
video
A coronel dos homens









Cel. Luciene
A primeira mulher a comandar uma tropa masculina no Brasil foi a Coronel Luciene Magalhães de Albuquerque, que em 1992 assumiu o comando do 34° Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais, onde, durante três anos, comandou 800 policiais homens. A região onde ela atuava era uma das que registrava os maiores índices de criminalidade na capital mineira, Belo Horizonte. 
MULHERES POTIGUARES NA GLORIOSA E AMADA
POLÍCIA MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE.

As mulheres ocupam atualmente os mais variados cargos e funções,nos quadros das instituições publicas, 
principalmente na area  de segurança Publica.

As mulheres são cerca de 10% do contingente das PMs
Em 2008, a primeira Polícia Feminina do país, a de São Paulo, completou 53 anos. A idéia de empregar mulheres em missões policiais no Brasil surgiu na década de 50 e foi uma mulher, em 1953, que apresentou, no 1º Congresso Brasileiro de Medicina Legal e Criminologia, sua tese da necessidade de criação de uma polícia de mulheres e defendia que as mulheres eram tão competentes quanto os homens para realizar o trabalho de policial. Isso foi em 1953 e a mulher era Hilda Macedo, assistente da cadeira de Criminologia da Escola de Polícia.
Em janeiro de 1955, baseado na idéia de Hilda, o então governador do Estado, Janio Quadros, pediu ao diretor da Escola de Polícia da época, Walter Faria de Queiroz, que estudasse a possibilidade de ser criada uma polícia de mulheres. Em 12 de maio de 1955 foi assinado o decreto 24.548, criando, na Guarda Civil de São Paulo, o Corpo de Policiamento Especial Feminino e foi escolhida para chefiar as mulheres, a própria Hilda Macedo, que tornou-se a primeira comandante da polícia militar mulher. Foi a primeira Polícia de mulheres do país e da América Latina. A elas foi atribuído o trabalho de proteger mulheres e jovens, missão que atendia as comunidades carentes.
A s mulheres são lindas demais, agora
 com essas maquinas então, se tornam
 em  mulheres super poderosas com certeza.
No  treinamento do Comando de Operações Especiais, elas jamais pediram pra sair e surpreenderam, realizando um treinamento durissimo, onde muitos homens não suportaram.
Com uma rotina pesada de exercícios físicos e rígida disciplina, que incluiu testes de sobrevivência na mata e operações simuladas com gás de pimenta, elas foram aprovadas no curso de ações táticas do GAE que formou 92 homens. À custa de muita determinação e vários choros contidos. “Nos treinamentos há muita pressão psicológica. Dá vontade de chorar. Várias vezes, as lágrimas vinham e eu tinha que engolir”, lembra Andreia Pereira Rodrigues, 35 anos, que, entre outras tarefas árduas, teve que subir o pico da Tijuca para simular um acidente na floresta. Mãe de Isabela, 13, e de Carlos, 7 anos, teve o apoio incondicional do marido, o inspetor Carlos Cristo, que é o comandante do GAE. “Tive que me superar em dobro. Por ser mulher e por ser esposa do comandante”, diz Andreia, casada há 10 anos e há 11 na Guarda.
10/11/2007 - 09h14

Bope abandonará uniforme preto e terá 

mulheres em 2008

O Bope abandonará um componente de sua mística, o uniforme preto, em nome da segurança. Outra mudança, também prevista para 2008, será a inclusão de mulheres na tropa.
Serão duas inovações radicais para a unidade, criada em 1978, e onde até hoje nenhuma mulher conseguiu completar o treinamento com os homens.
A farda negra, que rendeu fama ao Bope, "faz silhueta" em ações noturnas em favela, o que pode significar a morte para o soldado. Deve dar lugar à cor acinzentada, com "camuflado digital", semelhante à da Força Nacional de Segurança.
O comandante do Bope, tenente-coronel Pinheiro Neto, confirmou à Folha que há um estudo para escolher o melhor uniforme para a tropa.
Batalhão de Operações Policiais especiais
podera também ter mulheres em seus quadros.

QUARTA-FEIRA, 25 DE NOVEMBRO DE 2009


SOLDADO FERNANDA É A PRIMEIRA CACHORREIRA DO CANIL DO B.P. CHOQUE  E DA  PMSE.

Sd. Fernanda do B.P.Chq da P.M.S.E., esteve participando docurso de condutores de cães farejadores de drogas, realizado no rio de janeiro, entre os dias 19 de setembro a 19 de outubro de 2009, sendo a mesma, a primeira cachorreira do Canil do B.P.Chq da P.M.S.E.. O curso teve como finalidade o emprego do cão em situações que envolviam ocorrencias específicas com drogas. Foram ministradas as disciplinas: cães como ferramenta no combate ao tráfico, noções sobre drogas, a atuação dos cães farejadores nas vias públicas, em um total de 12 disciplinas. A capacitação em cursos desse porte enriquece o Canil da .P.M.S.E., dotando o mesmo de qualidade e desempenho mais eficaz no combate ao tráfico de drogas. Parabéns a Sd. Fernanda por engrandecer ainda mais o Batalhão de Choque e por conseqüência a P.M.S.E..
O GARRA JA ALGUM TEMPO  UTILIZA MULHERES EM SEUS QUADROS.
DOMINGO, AGOSTO 03, 2008

Elas também são elite

KELLY VICENTINI
Tropa de elite de SP agora também tem mulher

Por trás dos óculos escuros, da farda preta e da metralhadora ponto 40 mm, o GOE (Grupo de Operações Especiais) esconde um de seus maiores trunfos. Loira, 24 anos, formada em direito, a investigadora Kelly Vicentini é a única mulher que foi aceita para atuar na linha de frente da tropa de elite da Polícia Civil de São Paulo nos 17 anos de existência do grupo.
Kelly Vicentini, policial feminina 
de elite de São Paulo

ENTRE BARBIES E PISTOLAS

Mas Kelly se sente à vontade nesse Clube do Bolinha uniformizado que ela própria ajudou a romper no início do ano, quando se tornou a primeira mulher a conquistar o posto de investigadora desde a criação do grupo, em 1991. E apesar do nome burocrático do cargo, a função da loira tem mais a ver com tiroteios e resgates do que com depoimentos e análises de documentos.
Antes do GOE, Kelly trabalhou cinco anos no Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos), outra força especial da Polícia Civil, em que também foi a primeira mulher a ser aceita nos 26 anos de existência da unidade. Teve de batalhar para superar a resistência dos outros policiais. 'Eles imaginavam que eu não aguentaria o ritmo e pediria para sair', diz. A loura conquistou o respeito dos colegas e só saiu de lá cinco anos depois, e direto para o GOE.

NO MUNDO

Colômbia oficializa, na Polícia Nacional, sua primeira mulher general
















Luz Marina Bustos, 48 (dos quais 29 a serviço da Polícia Nacional colombiana), tornou-se nesta sexta-feira (5) a primeira mulher a atingir a patente de general em seu país. A promoção foi oficializada em solenidade conduzida pelo presidente Álvaro Uribe. “É um acontecimento que faz parte da história, não somente da polícia [colombiana], mas do país”, disse ele.
Formatura 
Da tropa de elite feminina iraquiana em desfile em Bagdá
Tropa de mulheres desfila durante a cerimônia de formatura realizada na Academia de Polícia de Bagdá Foto: The New York Times
S.W.A.T., Policia de elite americana
E para encerrar, uma das  melhores  policias do mundo, 
em nome do seu comandante Kevin Cole, também estuda,
á possibilidade de se criarem vagas para as mulheres, tanto que,
adquiriram um lote de  fuzis automáticos Tavor 9 mms israelenses, no lugar,dos tradicionais rifles de assalto  Colt AR15, 556 e o Sig Sauer 433x229,
Por ser essa arma israelense, leve de facil uso e precisão, sendo também  retrátil e um pouco menor do que o fuzil HK, 9mms, utilizado pela D.P.F. brasileira, O Tavor Tar-21  e de  facil domínio e uso  por uma mulher.

Postar um comentário